Sobre o projeto EnerSocial




A existência de espaços de caráter social é da maior importância na medida em que é fundamental disponibilizar à população mais idosa uma melhor qualidade de vida, bem-estar e conforto.

O programa EnerSocial responde à prioridade de diminuir a fatura energética das entidades associativas e de utilidade pública, assim como facilita a resposta eficiente a outras necessidades das instituições, nomeadamente a reconversão, remodelação ou ampliação de espaços e a aquisição de equipamentos e viaturas.

Os consumos energéticos significativos decorrentes da atividade das entidades associativas e de utilidade pública constituem uma sobrecarga económica que limita o seu desenvolvimento e a prestação de serviços aos cidadãos. As tecnologias de geração renovável oferecem oportunidades de substituição de fatura energética e por conseguinte de redução de custos operacionais.

O investimento em novos equipamentos e modernização das infraestruturas das instituições permite também providenciar aos seus utentes uma melhor qualidade de vida, e aos seus funcionários, um ambiente de trabalho seguro e eficiente.

Através do seu programa EnerSocial, a IrRADIARE apoiou a instalação de soluções energeticamente eficientes e ainda a reabilitação de infraestruturas e aquisição de equipamentos, num total de recursos mobilizados de 3.4M€. Na vertente de Habitação Social foram mobilizados 5M€.


Objetivos e Compromisso



A IrRADIARE tem, uma vasta experiência na gestão de programas, em particular na captação e gestão de projetos financiados.

No contexto do Portugal 2020 existem oportunidades de financiamento, desagregadas nos seguintes domínios: Competitividade e Internacionalização, Inclusão Social e Emprego, Capital Humano e Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos.

A IrRADIARE apoia o processo de candidatura e gestão de projetos financiados neste âmbito.

O programa EnerSocial inclui o estabelecimento de um protocolo que tem por objeto definir os termos comuns à materialização de projetos.

A cooperação operacionaliza-se através de projetos organizados, planeados, calendarizados e financiados de acordo com as especificações e termos de referência estabelecidos para cada intervenção.


A cooperação abrange as seguintes áreas:

▪ Preparação de dossiers de candidatura;

▪ Organização de planos de negócio, para suporte à captação de financiamento privado, de projetos de investimento;

▪ Capacitação das entidades associativas e de utilidade pública em que se destaca o financiamento, o desenvolvimento de plataformas operacionais, o planeamento e a interação com atores e agentes locais ou outros;

▪ A cooperação é aberta a potenciais intervenções de entidades terceiras na medida em que seja por ambas as partes considerado conveniente, face aos objetivos e especificidades de cada projeto.


processo de intervenção em
equipamentos sociais (exemplo)